Feeds:
Posts
Comentários

Archive for maio \31\UTC 2015

bolo queijo

Tenho feito esse bolo já algumas vezes é bom por não ser muito doce, e o queijo parmesão na receita deixa um algo a mais por conta do sabor. Haja receitas diferentes, aqui em casa bolo todos os dias da semana, eu e o meu marido gostamos do nosso café da manhã com bolo. Experimente essa receita que você também irá gostar muito. Quero lembrar que preparo todas as receitas sem lactose por causa do meu marido ter intolerância a lactose. Felizmente ficou mais fácil de encontrar leite sem lactose, mas prepare com o leite que a sua família consome diariamente.

1 xícara (chá) de leite desnatado.
1 xícara (chá) de açúcar cristal
2 ovos inteiros
1/4 xícara (chá) de óleo de canola
1 colher (chá) de baunilha
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
4 colheres (sopa) cheias de queijo parmesão ralado
1 colher (sopa) de fermento em pó
2 colheres (sopa) de queijo parmesão
Canela em pó
Açúcar cristal
1 xícara (chá) de leite desnatado aquecido

Bata no liquidificador o leite, açúcar, ovos, óleo e a baunilha, reserve.
Numa vasilha misture a farinha, fermento, e o queijo parmesão ralado, acrescente o liquido batido misture bem com o fuet até que fique uma massa uniforme. Coloque o leite aquecido para umidecer o bolo.
Por cima da massa espalhe com duas colheres o queijo parmesão ralado, salpique com canela em pó e polvilhe com açúcar cristal.
Asse no micro conforme já ensinei em outras as receitas aqui no blog, tomando todos os cuidados necessários para o manuseio correto do micro.
Com o bolo já desenformado fure com a ponta de uma faca e umideça com o leite aquecido e com ajuda de uma colher vá umedecendo todo o bolo. Se no dia seguinte o bolo ficar endurecido, umideça novamente com leite na temperatura do bolo já frio.
Se preferir asse no forno convencional até que doure e o palito fique seco.
Guarde na geladeira dentro de um pote tampado. Não há perigo de estragar se for conservado sempre na geladeira e o sabor será sempre muito bom.
Rende 10 fatias.
Não congele.

Anúncios

Read Full Post »

arroz

Não tinha ainda experimentado comer arroz com amendoim, ou melhor não tinha me tocado como é bom de sabor. Ficou muito bom, vai bem com qualquer tipo de alimento como complemento e fica fino para servir aos seus convidados. Sirva no almoço ou jantar sem pestanejar que será um sucesso.
Para preparar aos seus convidados meça 1 xícara de café por pessoa de arroz para não haver erro de faltar e ainda sobrará um pouco. O melhor de tudo que é super rápido por ser preparado na panela de pressão. Não poderia ser mais fácil.

6 xícaras (café) de arroz branco lavado e escorrido
1 colher (chá) de óleo de canola
1 colher (chá) de tempero pronto de alho e sal
1 cebola grande picada
1 xícara (chá) de amendoim torrado sem casca
Água

Na panela de pressão antiaderente coloque o óleo, tempero pronto, e a cebola, leve ao fogo alto até que doure sempre misturando bem.
Coloque o arroz misture bem para refogar e junte o amendoim, misture coloque a água até cobrir o arroz dois dedos acima. Tampe a panela e deixe no fogo alto por 6 minutos, desligue o fogo deixe descansar por 20 minutos para abrir a panela. Mexa todo o arroz para que fique bem solto e envolvido com o amendoim coloque numa travessa e sirva. Quando for preciso aquecer faça isso no micro. Pode ser congelado já dividido em porções.
Rende 6 porções bem fartas.
Minha dica: você pode preparar dessa maneira o arroz branco com milho, legumes variados, cenoura ralada ou o que preferir.

Read Full Post »

foto 2

Purê é sempre bom de qualquer sabor tanto para adultos ou crianças, vale a pena investir e preparar essa maravilha.
A mandioca ou macaxeira ou aipim é uma raiz comestível excelente fonte de carboidratos, alto valor energético, rica em sais minerais, como cálcio, ferro, fósforo, vitaminas do complexo B e grandes quantidades de potássio. Rica em amido, não possui glúten, ótimo para as pessoas portadoras da doença celíaca.
Cará é um tubérculo rico em carboidratos, energético, possui grande quantidade de vitaminas do complexo B, B1, B2, B5, B6, rico em fibras solúveis.
Batata contém vitaminas do complexo B e C, fósforo em boa quantidade, ferro, potássio e cálcio. E uma fonte importante de amido.

500 gramas de mandioca de preferência já descascada e embalada
1 cará grande redondo ou 2 pequenos descascados e lavados
3 batatas descascadas lavadas
1 cebola grande picada
1 colher (chá) de óleo de canola
1 colher (chá) de tempero pronto de alho e sal
1/2 xícara (chá) de água
Salsa e cebolinha picadas para polvilhar depois de pronto
Azeite um fio para polvilhar

Coloque as mandiocas lavadas e o cará  na panela de pressão cubra com água, tampe a panela e leve ao fogo alto até chiar, abaixe o fogo e deixe cozinhar por 30 minutos.
Cozinhe as batatas separadamente até que fiquem bem amolecidas, e esprema no espremedor de batatas ou amasse com um garfo e transfira para uma vasilha.
As mandiocas e o cará poderão serem espremidos com garfo, mas o mais fácil é usar o processador de alimentos.
Misture tudo muito bem e reserve.
Numa  panela coloque o óleo, cebola, e o tempero pronto de alho e sal, tampe a panela e leve ao fogo alto até dourar e misturando sempre, acrescente a água deixe cozinhar mais um segundo e desligue o fogo.
Jogue esse refogado no purê e misture bem, polvilhe a salsa e cebolinha a gosto, acrescente o fio de azeite.
Sirva quente com peixe, carne ou frango acompanhada de salada de legumes com folhas.
Rende 5 porções fartas.

 

Read Full Post »

roseokk

Read Full Post »

Estas duas receitas são como sabem especialidades árabes muito apreciadas por todos os povos.
Aqui no Brasil encontramos vários restaurantes de origem árabe que oferecem vários pratos típicos, que são uma delícia.
São duas receitas práticas com pouca gordura, saborosas e fáceis de preparar.

Kibe de assadeira

kibe2

400 gramas de carne moída sem gordura
1 xícara de trigo para kibe
Salsa e cebolinha picadas a gosto
1 colher (café) de orégano
1 cebola média picada
1/2 maço de hortelã bem lavada e picada
Caldo de 1 limão
1 colher (chá) de sal
1 colher (sobremesa) de óleo de canola
1 colher (chá) de temperos secos de cebola, alho e salsa
1 colher (chá) de pimenta síria

Deixe o trigo de molho com água morna dois dedos acima do trigo por 20 minutos.
Se houver água escorra bem, mas com essa quantidade de água não será preciso escorrer pois ficará totalmente absorvida pelo trigo.
Numa vasilha coloque a carne o trigo, misture bem e acrescente todos os ingredientes misturando bem.
Para que fique bem alto coloque toda essa mistura numa assadeira pequena retangular e untada com óleo, espalhando bem para que fique uniforme.
Leve ao forno para assar de 20 a 30 minutos até que doure.
Na hora de servir espremer 1/4 de limão por cima do kibe e um fio de azeite mais arroz branco e a salada de tabule, não é preciso mais nada o prato está completo.
Minha dica: se não tiver pimenta síria faça uma mistura que dará o mesmo resultado
Cravo da índia em pó, canela, pimenta do reino ou a pimenta com cominho avermelhada bem cheirosa.
Medida: uma colher de chá é o suficiente.
Rende 4 porções grandes.

Tabule

tabule1

1 pé de alface americana lavada escorrida e picada
1/2 xícara (chá) de trigo para kibe
1 1/2 pepino japonês sem casca lavado e picado
2 tomates lavados e picados
Salsa e cebolinha picadas a gosto
1 colher (café) orégano
1/2 maço de hortelã lavada e picada
Caldo de 1 limão
1 colher (sobremesa) de azeite extra virgem
1 colher (chá) de sal

Numa vasilha pequena coloque o trigo para kibe de molho com água acima dois dedos por 20 minutos.
Coloque numa vasilha o trigo hidratado, alface e o restante dos ingredientes misturando tudo muito bem.
Transfira para um pote tampado e leve a geladeira.
Faça com um tempo de antecedência para que na hora de servir esteja gelado.
Dica: que aprendi com a Nice, que trabalha no supermercado onde costumo fazer as minhas compras. Ao comprar o maço de hortelã guarde na própria embalagem sem lavar dentro de um pote tampado na geladeira. Assim ficará conservado, só lave na hora em que for usar.
Minha dica: gosto muito da alface americana pelo sabor e textura, normalmente vem embalada num isopor com plástico aderente. Retiro a alface da embalagem enrolo em 4 folhas juntas de papel toalha e coloco dentro de um saco plástico limpo e guardo na geladeira. Retiro a quantidade de alface a ser usada lavo muito bem deixo de molho com água e um pouco de vinagre branco de 20 a 30 minutos escorrer bem e usar. O restante da alface trocar o papel se estiver umedecido, colocar dentro do plástico e volta a geladeira. A alface tem uma boa durabilidade dessa forma.
Se usar toda a alface, deixe de molho bem lavada com água e 3 colheres de sopa de vinagre branco de 20 a 30 minutos. Escorra bem e estará pronta para ser usada.
Se houver sobras do tabule, guarde num pote tampado na geladeira, até o dia seguinte
Rende 6 porções.

Read Full Post »

sopa2

Você como eu vai pensar ao ler, como assim sopa Paraguaia????
Só quando preparei a receita entendi melhor fica parecendo mesmo uma sopa, mas depois de ir ao forno é que fica uma torta.
Essa iguaria é bastante consumida pelos paraguaios, desde a guerra do Paraguai, onde os camponeses paraguaios e os soldados que levavam para os campos de batalhas por ficarem bem alimentados.
Se criou uma lenda que na época da guerra, por ser mais prático não levar líquidos acabaram colocando mais milho na receita que acabou virando uma torta.
Mas essa iguaria até hoje é muito consumida também no Mato Grosso do Sul, desde o café da manhã, almoço e jantar. Os turistas se deliciam com essa iguaria.

Existe uma lenda que diz que uma cozinheira errou a receita ou se distraiu e o caldo que deveria ser uma sopa acabou engrossando, então foi colocado mais farinha de milho na panela e acabou virando uma torta. Quando foi servir o jantar no lugar da sopa foi servida a torta.
O dono da casa era então o ditador Carlos López do Paraguai entre 1844 e 1862. Ele gostou tanto da iguaria que passou a ser servida dessa maneira e o nome se conservou como Sopa Paraguaia.

500 gramas de milharina
2 latas de milho
3 cebolas picadas
2 ovos batidos
1/2 xícara (chá) de óleo de canola
1 pacote (50g) de queijo parmesão ralado
1 pedaço de queijo fresco
1 litro de leite desnatado fervente
1 colher (sopa) de fermento em pó
1/2 colher (sopa) de açúcar cristal
1 colher (chá) de sal

Bata o milho no liquidificador com 1 xícara e 1/2 de água e reserve.
Refogue numa panela as cebolas com 1 colher chá de óleo de canola até que fiquem bem douradas.
Junte o leite fervente sempre misturando, o milho a milharina aos poucos, o açúcar, os ovos, e o sal.
Adicione pedaços de queijo fresco e por último o fermento em pó misture muito bem, espalhe o óleo por cima do queijo ralado.
Aqueça o forno em 200 graus, coloque a massa numa assadeira retangular untada com um fio de óleo bem espalhada em toda assadeira, coloque a massa espalhe bem para que fique bem uniforme leve ao forno por mais ou menos 30 minutos até que fique dourada e assada.
Deixe esfriar por uns 6 minutos antes de cortar em quadrados e desenformar.
Sirva quente. Rende uma assadeira grande guarde em um pote tampado na geladeira se sobrar.

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: