Feeds:
Posts
Comentários

Archive for setembro \02\UTC 2012

O paciente a partir de agora já poderá decidir quais procedimentos médicos quer ser submetido no fim da vida.
Podendo registrar no próprio prontuario. A resolução foi divulgada agora dia 30 de agosto.
Pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e que trata dos limites terapêuticos para doentes em fase terminal.

As regras estabelecem critérios para o uso de tratamentos considerados invasivos ou dolorosos em casos nos quais não há possibilidade de recuperação. A chamada diretiva antecipada de vontade consiste no registro do desejo do paciente em um documento, que dá suporte legal e ético para o cumprimento da orientação.

O testamento vital, de acordo com o CFM, é facultativo e poderá ser feito em qualquer momento em da vida – inclusive por pessoas em perfeita condição de saúde – e poderá ser modificado ou revogado a qualquer instante.

São aptas a expressar esse desejo pessoas com idade igual ou mais de 18 anos ou que estejam emancipadas judicialmente.
O interessado deve estar em pleno gozo das faculdades mentais, lúcido e responsável por seus atos perante a justiça.

O registro poderá ser feito pelo médico assistente na ficha médica ou no prontuário do paciente, sem a necessidade de testemunhas. O documento, por fazer parte do atendimento médico, não precisa ser pago pelo paciente.
Se considerar necessário, o paciente poderá nomear um representante legal para garantir o cumprimento do seu desejo.

Caso o paciente manifeste interesse, poderá registrar o termo em cartório. Conforme o CFM, a vontade do paciente não poderá ser contestada nem mesmo por parentes – o único que pode altera-la é o próprio paciente.

Segundo as diretrizes, o paciente poderá definir, com a ajuda de um médico, se deseja passar por procedimentos como, por exemplo, o uso de respirador artifícial (ventilação mecânica), tratamentos com remédios, cirurgias dolorosas e extenuantes ou mesmo a reanimação em casos de parada cardiorrespiratória.

O presidente do CFM, Roberto Luiz D’Ávila, considerou a resolução histórica, já que trata de um dilema provocado pelo próprio avanço da tecnologia.
Ela (resolução) tem permitido que tudo possa a ser feito tecnicamente, disse. Na medicina, trabalhamos com variáveis, as coisas se modificam. O que estamos tentando resgatar é que as pessoas morram no tempo certo, mas de maneira digna, completou.

D’Ávila ressaltou que a diretiva antecipada de vontade não é válida para alguns casos, como um acidente de carro quando a pessoa tem chance de recuperação e, portanto, deve ser submetida
a procedimentos de ressuscitação. Com o documento, eu (paciente) só estou sinalizando que quando estiver em uma fase terminal crônica, não quero nenhum esforço fútil ou extraordinário.

O CFM informou que o Código de Ética Médica vigor desde abril de 2010, veda ao médico abreviar a vida, ainda que a pedido do paciente ou de um representante legal – prática conhecida como eutánasia. Entretanto, é previsto que, nos casos de doença incurável e de situações clínicas irreversíveis e terminais, o médico pode oferecer cuidados paliativos disponíveis e apropriados (ortotanásia).

A medicina paliativa é uma opção hoje muito interessante e regulamentada pelo conselho.
A pessoa não será abandonada, o que é um medo muito grande dos pacientes, concluiu o presidente do CFM.

Fiquei extremamente feliz, mesmo essa decisão ter demorado muitos anos para entrar em vigor.
O meu marido e eu, já preparamos o nosso documento já há alguns anos, e sempre ficamos preocupados, de quando chegar a nossa hora final a nossa vontade não ser respeitada, agora finalmente estamos aliviados, pois não queremos sofrimento e muito menos prolongamentos de vida. Não adianta fugir, ou ignorar esse assunto tão importante. A certeza é: nascemos e morreremos, então é preciso tomar as providências para que o final não seja doloroso para o doente e familíares. Pensem nisso!

Fonte: Paula Laboissière – da Agência Brasil, em Brasília

Anúncios

Read Full Post »

Acabei de criar o meu musse de limão cremoso light, ficou como eu imaginei bem suave.
Nada a dever ao tradicional com creme de leite, nem se percebe que não tem creme.


Limão é uma fruta cítrica, sendo que o seu suco tem um sabor forte e azedo.
Rico em vitamina C, complexo B, possuidor de sais minerais como fósforo, cálcio e ferro com poucas calorias. Em cada 100 gramas de limão apresenta só 25 calorias.


É bastante usado em preparo de sucos e na culinária em geral.
O limão tahiti na cor verde é o preferido para o preparo de doces, sucos e na culinária.
Como já foi dito, o limão tem poucas calorias aproveite e faça uso do mesmo, por só trazer  benefícios para a saúde.


Para preparar o musse

2 copos de iogurte natural desnatado
1 xícara (chá) de leite desnatado
1/2 embalagem de uma ricota
1 lata de leite condensado light ou tradicional
suco de 4 limões grandes
3 colheres rasas (sopa) de açúcar cristal
1 embalagem de gelatina sem sabor preparada conforme instruções (reserve)
Fatias de limão para enfeitar 

Coloque os ingredientes no liquidificador, liquidifique até que fique com uma consistência pastosa.
Acrescente a gelatina dissolvida e bata novamente até que incorpore.
Umedeça uma forma com água filtrada e escorra, coloque o creme liquidificado e leve na geladeira de um dia para o outro. Se preferir coloque em taças.
Desenforme enfeite e sirva bem gelado. Não congele.

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: